Quinta-feira, 3 de Julho de 2008

Cidade dos Anjos

 

Os anjos da cidade revisitaram o amor
Procuravam sentimento no seu próprio sentir
Procuravam o momento para poder cair
E encontrar na idade o peso da própria dor
 
Descoberta divina na própria mortalidade
Que prefere o momento à sua eternidade
 
De que vale todo o conhecimento
Que se guarda na memória
Se a vida é um momento
Em que o amor é a glória
 
Paixão só no olhar muito antes do tocar
Vira a vida do avesso, vira a lágrima em sorriso
É feliz que  aceito o preço do amor que preciso
Mesmo que fique só no perfume do teu ar
 
música: Goo Goo Dolls - Iris
publicado por jangadadecanela às 17:21
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito

Sonetos

A Maria João está já a dar lições online sobre elaboração de sonetos. Tentei e aqui está o resultado... Maria João, o meu muito obrigado...

 

Encruzilhada

 

Já tudo te dei menos quem eu sou
Já tanto te amei, tanto que sonhei
Ilusão de amor do qual nada sei
Estrela no céu que nunca brilhou

Agora perdido não sei onde estou
Duvido de mim pelo que pensei
Será que foi pouco tudo o que dei?
Estarei já cego ou o dia eclipsou?

Tempestade de areia que me assola
Que perturba a ideia e a pele esfola
Queimada por sol que já não tem dó

Deserto de vida em que nada rola
Sem água nem pão nem sequer esmola
Onde só rastejo, onde vivo só
 

 

Aprendiz

 

Aprendiz eterno de ti sou eu
Outrora perdido na minha vida
De barreiras inquebráveis construída
Onde nenhum sonho sequer nasceu

O que digo eu a quem me renasceu
Feitiço divino, foi a minha sina
Da pedra se fez água cristalina
Que no coração o gelo derreteu

Sei que foi o teu lindo e doce sorriso
Que me fez crescer e perder o juízo
Para te pedir somente o teu nome

E foi assim sem dó nem sequer aviso
Que vi que este chão que hoje eu piso
Deixou de ser só um simples pronome

 

tags:
publicado por jangadadecanela às 12:56
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Quarta-feira, 2 de Julho de 2008

Mãos

 

Posso ficar uma eternidade
A divagar pelas tuas mãos
Bebo delas toda a emoção
Que preenche o meu coração
 
Nelas poiso os meus lábios
Em sinal de afeição, veneração
Em toques leves que quero sábios
Gero lágrimas de eterna comoção
 
Absorvo em mim o gosto da tua pele
Que penetra todos os meus sentidos
Que me leva para lado nenhum
Utopia para todos menos um
 
Que fique sempre esta saudade
Do meu amor faço imortalidade
A cada toque que me rejuvenesce
publicado por jangadadecanela às 12:21
link do post | comentar | ver comentários (33) | favorito

.quem sou...

.Poesia


.pesquisar

 

.posts recentes

. Natal

. Viagem

. Amanhecer

. Esperança

. Sabor a Saudade

. É assim... e que sempre a...

. Infinito

. ...

. Ser

. 21 DE JULHO

. ...

. Tão Veloz Como o Desejo

. Alto Douro Vinhateiro

. O meu leito

. Astrolábio

. Aberto ou Fechado

. ...

. Risco

. SER...

. Partes

.favorito

. DE MÃO NA MÃO

. O CORAÇÃO ...

. DIVAGANDO ...

. AMOTE

. PORQUE...

. NÓS

. "HÁ GENTE QUE FICA NA HIS...

. OBRIGADA POR SERES EGOÍST...

. OU É UMA COISA OU OUTRA

. VAMOS TIRAR UMA FOTO?

.arquivos

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

.tags

. todas as tags

RSS