Quinta-feira, 5 de Junho de 2008

A seu tempo...

João e Ana estavam casados há três anos. Tanto um como outro têm uma vida agitada, recheada de necessidades de disponibilidade adicional para com os seus empregos. João é um gestor de cliente de uma empresa de serviços de consultadoria, para quem o tempo não se mede em horas, dias, noites ou semanas mas sim em datas de inicio e fim de projectos. Ana é tradutora e constantemente tem que viajar para fora do país, em comitivas empresariais. Esta realidade, dura para muitos, é vista por eles como um desafio constante ao seu amor. Três anos antes, quando decidiram dar o nó, aceitaram também este modo de vida. A verdade é que os vejo, ainda hoje, a namorar (e isso já é um feito) com uma cumplicidade como se estivessem ainda a conhecer, apaixonados pelas descobertas que se permitem, cada vez que se encontram. Quando os encontramos ali no parque, estão sempre no mesmo canto (acreditem que para mim até já é estranho ver lá outras pessoas, é como se tivessem reservado aquele banco de jardim). João gosta de ficar sentado, reclinado, como se a dizer ao sol para não ter medo de entrar por ele dentro. É vê-lo com o seu bloco A4 e lápis a sarrabiscar ou então agarrado à maquina fotográfica à procura de pormenores no parque para registar. Ana gosta de se deitar no banco, de cabeça apoiada nas pernas do João, com as pernas semi-flectidas e de óculos escuros, ficar ali a ler. De tempos a tempos, param o que estão a fazer para trocarem um toque, um beijo, um carinho. Não um carinho a correr, algo inconsciente que fazemos sem pensar mas um carinho que se prolonga no tempo, que espera, que se sente e que regressa ao seu poiso. Será que encontraram o segredo para a felicidade? Não pode ser, isso não existe…

 
Seguindo uma sugestão da Maria, num dos seus últimos posts aqui na Jangada e como forma de nos conhecermos melhor, desafio-vos a terminar este texto, demore o tempo que demorar…
publicado por jangadadecanela às 12:09
link do post | comentar | favorito
15 comentários:
De Subjectividades a 5 de Junho de 2008 às 12:30
Olá Luís
Não será uma grande surpresa mas eu vou aceitar!
A seu tempo, claro mas não resisto a estes desafios!

Um abraço
De jangadadecanela a 5 de Junho de 2008 às 12:39
Olá Isabel, vou ficar à espera...

Um abraço
De pingodemel a 5 de Junho de 2008 às 12:31
,,,prometo vir cá dar uma continuação ao texto...mas para já só queria deixar um comentário ...
..as pessoas que passam menos tempo juntas por força do trabalho, valorizam mais a relação, aproveitando ao maximo o tempo que estão juntos e como é pouco não o gastam com chatices ... e talvez isto faça o amor durar...
De jangadadecanela a 5 de Junho de 2008 às 12:41
Olá Joana...

Concordo contigo, é um factor que pode ajudar, mas a base tem que ser forte caso contrario, podem ser mais as "queixas" do que o aproveitar do pouco tempo que se tem...

Expectativas, no limite, será depende das expectativas que criamos?

Abraço
Luís
De pingodemel a 5 de Junho de 2008 às 12:47
...será que não serão as expectativas que por vezes estragam tudo? ... eu acho que não se devem criar expectativas, apenas aproveitar o momento...e isto já sou eu a divagar...até porque sou mulher e nós temos uma queda para criar expectativas :)
De jangadadecanela a 5 de Junho de 2008 às 13:35
não sei Joana, mas ja estive em situações em que as expectativas destruiram momentos que poderiam ser muito bons... em vez disso foram um desastre...

um abraço
De MIGUXA a 5 de Junho de 2008 às 12:51
Não existe!?! É claro que existe...O que aparentemente se nos depara como um ritual, deixa de o ser, dependendo apenas dos olhos que observam, dos seres que partilham, da vontade de crescer e agradar ao outro.

Apesar da agitação e algum desencontro temporal, ambos sabem que o momento de um novo abraço, sentido, bem apertado está ali a qualquer instante, de um para o outro, naquele ou qualquer outro banco de jardim...

Porque o amor é assim, recria-se através de pequenas grandes coisas,,,Consolida-se, com partilha dos nossos bons e maus momentos e, à medida que o tempo passa o valor acrescentado só pode ser positivo para ambos. Porque se deram tempo um ao outro...porque sim...porque a amar também se aprende...

É apenas um coment
É o que penso
Xi-kor
Margarida
De jangadadecanela a 5 de Junho de 2008 às 13:42
Olá Margarida,

Eu pessoalmente acredito na felicidade como algo que podemos sentir em 2 momentos. No "já" ou em "retrospectiva global".Acredito sim que podemos somar muitos momentos de felicidade na vida.

Gostei do teu ponto de vista e é bom saber que há quem sinta essa felicidade. Se calhar existe e está reservada para poucos... não sei...

um abraço
Luís
De maria a 5 de Junho de 2008 às 15:37
jOÃO E ANA AMAM-SE E RESPEITAM-SE!
Vão equilibrar o trabalho, com o decorrer do seu casamento. Vão superar os obstáculos, de trabalho, dos filhos, dos problemas familiares, de saúde, juntos.
Eu acredito em casamento para toda a vida. Acho que já aqui disse o que penso sobre o casamento. O problema dos casamentos é a falta de principios das pessoas. quem casa não é uma criança, é um adulto! aquele programa vulgar que dava na TV "o fiel ou infiel" retrata infelizmente a triste realidade. As pessoas casam "e encostam", se encontram uma cara mais bonita, ou alguém com dinheiro, ou mesmo se o chefe lhes der conversa, as pessoas vão e traem. As pessoas sabem quando casam , que devem respeitar o outro, que devem tolerar o outro, que nem sempre fazemos tudo como queremos, que nem sempre há dinheiro em abundância. O casamento implica que "a minha vontade", passe a ser "a nossa vontade".
O problema dos casamentos é a falta de principios e a falta de respeito pelo outro!
Eu acredito que o João e a Ana vão viver felizes para sempre.
Amam-se, respeitam-se, vão evoluir profissionalmente e ter problemas profissionais, vão ter filhos e problemas com eles, vão ter óbstáculos inesperados, mas vão ter capacidade para superarem juntos.
E vão comemorar 50 anos de casados e ele vai oferecer-lhe um anel com uma safira (porque quando casaram ele não lho pode oferecer e sabe que ela adorava receber). Ela vai preparar um fim de semana romântico para os dois, num sitio romântico e calmo, os Açores por ex. e ele vai ler-lhe um livro que ele tem vindo a escrever de poemas (alguns dedicados a ela) e textos e ela vai chorar de emoção.
E quando forem muito velhinhos, vão sorrir, ao pensar que aquela é a pessoa imperfeita, mais perfeita do mundo, o sapatinho para o seu pé, que não poderiam ter escolhido outra pessoa.
É assim que eu vejo o casamento: para toda a vida, com muito respeito, com tolerância, com amor, "com aquela pessoa". Acredito que podemos amar alguém toda a vida e envelhecer ao lado dessa pessoa ( e olhem que eu nunca sonhei com casamento e tenho um feitio dos diabos!)
O que eu já escrevi!
Até já!!
De jangadadecanela a 5 de Junho de 2008 às 16:22
Olá Maria...

Também acredito em viver ao lado de alguem, envelhecer com ela. Além de acreditar, quero! Mas também já amei, já fui casado, ja trai, ja investi, já magoei, já fui magoado, ja desesperei, já desisti, e hoje, novamente, já acredito e quero como dia.
Neste momento quero acima de tudo dar o melhor para os meus filhos e um dia, quem sabe, consiga voltar a tentar. Gostava muito, mas como um dia destes disse, a minha é muito, muito complicada...


Abraço
Luís
De InêsCabral a 6 de Junho de 2008 às 02:18
Olá Luís!
Acredito que existem momentos de felicidade e não uma felicidade permanente.
Acredito no casamento para toda a vida,porque não quero ter a mentalidade moderna dos dias de hoje em que se casa já a pensar que nos podemos divorciar.
Infelizmente vivemos uma crise de valores em que não se acredita no amor,na felicidade,no bem dos outros.Mas ainda há muita gente com bons principios!
Eu quero continuar acreditar e sonhar,mesmo com todos os sofrimentos que possa ter passado um dia.
Acredito que o João e a Ana sejam felizes por toda a cumplicidade que os une,pelo respeito,carinho,amizade,confiança e cedência porque é preciso "dobrar o joelho quando necessário" e sermos flexiveis.Ás vezes não deve ser facil,há-de chegar o dia que descobrirei...
Beijinhos.
De jangadadecanela a 6 de Junho de 2008 às 09:25
Olá Inês,

Gostei muito do teu comentário... e estou de acordo contigo. e como tu, também quero acreditar no futuro.

abraço
Luís
De Rosa e Azul a 7 de Junho de 2008 às 11:30
... Confesso aqui Luís que este texto me fez chorar...

Acredito cada vez mais na felicidade como sendo momentos em que um gesto, um carinho, um beijo e um abraço nos fazem sentir a pessoa mais amada.

Quanto à tua Ana e ao teu João ... espero que consigam ser felizes e que o dia a dia envolvido nos seus projectos e nas suas coisas não os faça esquecer que existe o outro. Eu acredito que a felicidade de uma vida a dois está no equilibrio entre o não perder a nossa individualidade e sonhar/ realizar projectos a dois...

Bom fim de semana
Ana
De jangadadecanela a 7 de Junho de 2008 às 13:06
Olá Ana...

Como tu, acredito que a felicidade de uma vida a dois, baseada em bom senso, respeito e muito, muito carinho...

Um bom fim de semana, de preferencia sem chorar, não gosto de ver ninguem chorar a não ser que seja de felicidade!

Abraço, Luís
De folha a 13 de Junho de 2008 às 00:25
A felecidade ??? claro que existe.Acredito que a tua narrativa pode ter um final feliz.......o amor pode ser tudo desde que exista espaço para o saborear, respeito mutuo,porque quando temos o nosso tempo para a nossa procura interior tudo o resto faz sentido, não são precisos grandes gestos,nem muito para se ser feliz.Diz isto quem tem muito pouco tempo deste tempo de AMOR a si própria que é dos mais valiosos porque sem ESSE os outros são só uma maneira de entregarmos aos outros a capacidade que todos temos de ser Felizes. Sou a que já procurou a felicidade por caminhos precipitados e em todos eles encontrou uma montanha dificil de ultrpassar, mas que hoje até entende, e acha necessário, quando explicado ou quando se têm muito medo "o silêncio".Penso que é das coisas menos compreensivas e que mais doi, mas que os homens mais utilisam.Como já passei de um AMOR escaldante a um silêncio sepulcral..........ainda surge o porquê.......principalmente poque quises-te entrar na minha vida para saires cheio de medo de uma Mulher que se assume.......que quando dá é sem reservas e por inteiro. Por isso acho que o teu casal só pode ser muito feliz .......para que os raios de sol mergulhem na pele de quem os procura.
Obrigado pelos teus versos e textos são lindos e cheio de bem querer.

Comentar post

.quem sou...

.Poesia


.pesquisar

 

.posts recentes

. Natal

. Viagem

. Amanhecer

. Esperança

. Sabor a Saudade

. É assim... e que sempre a...

. Infinito

. ...

. Ser

. 21 DE JULHO

. ...

. Tão Veloz Como o Desejo

. Alto Douro Vinhateiro

. O meu leito

. Astrolábio

. Aberto ou Fechado

. ...

. Risco

. SER...

. Partes

.favorito

. DE MÃO NA MÃO

. O CORAÇÃO ...

. DIVAGANDO ...

. AMOTE

. PORQUE...

. NÓS

. "HÁ GENTE QUE FICA NA HIS...

. OBRIGADA POR SERES EGOÍST...

. OU É UMA COISA OU OUTRA

. VAMOS TIRAR UMA FOTO?

.arquivos

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

.tags

. todas as tags

RSS

.pauzinhos...

online