Segunda-feira, 23 de Junho de 2008

Tempestade de sentidos

 

 

Foi numa noite como esta

Quente e de festa

Que me foste apresentada

Paixão instantânea nascida do nada

 

Tanto dissemos em tão pouco tempo

Tanta sintonia naquele momento

O toque das mãos foi inevitável

Carinho que parecia inquebrável

 

Dançamos, rodopiamos

Abraçamos, beijamos

Tudo parecia perfeito

E eu, um tolo sem jeito

 

Era a tolice da felicidade

Na sua bela simplicidade

O encanto da princesa

Que deixou a minha alma acesa

 

O momento foi curto mas intenso

Mais forte que o melhor incenso

E o tempo que se seguiu

Foi o mais longo que se viu

Porque se tu parecias perfeita

Deixaste a minha alma desfeita

 

Mas o tempo tudo resolve

Quando o coração se envolve

Numa manta de amor

E nunca…

Nunca…

 num cobertor de rancor

 

J

tags:
publicado por jangadadecanela às 23:08
link do post | comentar | favorito
26 comentários:
De InêsCabral a 24 de Junho de 2008 às 01:09
Olá Luís!
Há momentos curtos mas tão intensos que ficam marcados para sempre dentro de nós.
Esse "cobertor de rancor" que falas só nos vai magoar e como tu dizes "o tempo tudo resolve", pelo menos em quase tudo!
Beijinhos.
De jangadadecanela a 24 de Junho de 2008 às 10:07
Olá Inês,

são flashes de sentidos que por vezes nao terminam da melhor maneira mas o importante é sempre procurar o lado positivo...

Abraço,
Luis
De Velucia a 24 de Junho de 2008 às 07:28
Oi Luís está lindo teu poema!

Só fico com rancor quando fico calada.

E como a garganta é considerada a avenida da expressão... então eu "falo" ou "escrevo".

Assim não guardo rancor.

Desculpe!

De jangadadecanela a 24 de Junho de 2008 às 10:08
Olá,

Obrigado pelo comentário :)

Rancor não faz bem, em nenhuma circunstancia...

abraço,
Luis
De Subjectividades a 24 de Junho de 2008 às 10:00
Bom dia Luís

A seguir á tempestade vem sempre a bonança verdade?
Ás vezes é difícil acreditar mas é o rancor que não nos deixa ver um céu claro e límpido!
" Se tu parecias perfeita
Deixas-te a minha alma desfeita" foi o que mais gostei no poema porque é aqui que está o cerne! As almas não se desfazem jamais e tu sabes disso...
Um abraço
De jangadadecanela a 24 de Junho de 2008 às 10:22
Olá Isabel,

Sempre! há só que saber esperar...

Há alturas em que saimos magoados de uma situação porque nem sequer vimos no que nos metemos... e se eu proprio digo que, por amor, tudo vale a pena, nao posso sentir nada de mau por alguem que, por amor, optou por outro caminho... o rancor, esse só destroi o que de bom se pode salvar...

abraço,
Isabel

De Subjectividades a 24 de Junho de 2008 às 10:42
No amor não deveria haver rancores, mas há quem afirme que o amor é gemeo do ódio!
Chamem-me ingénua, o que quiserem mas eu não concordo nem aceito que assim seja.
O Amor pode não dar certo, pode magoar, pode doer sim mas há que respeitar e guardar a beleza do que houve.

Um abraço

De jangadadecanela a 24 de Junho de 2008 às 10:57
mas o rancor existe Isabel, associado ao amor ou à falta dele, ou outras variantes...

eu, não sei se por sorte ou por sentir demais ou de menos... nunca guardei rancor, guardo sempre o que de bom restou... mas como ja tenho dito.... não sou um bom exemplo...

abraço,
Luis
De Subjectividades a 24 de Junho de 2008 às 11:22
Pois olha meu amigo eu só te conheço daqui mas quanto a dizeres que não és um bom exemplo...eu não o diria. Tenho gostado do que tenho lido visto e sentido.
O rancor existe e o ódio também mas são sentimentos que não nos levam a lado nenhum pelo contrário só nos fazem andar para trás. É claro que posso estar errada em todas as minhas apreciações mas era como dizia o outro dia esta é a minha verdade.
Um abraço
De jangadadecanela a 24 de Junho de 2008 às 11:33
Tu és um amor, essa é que é a verdade.

um abraço
Luis
De Subjectividades a 24 de Junho de 2008 às 11:36
Ahahah, com essa calaste-me mas olha Luís também não sou exemplo para ninguém!!!

Abraço
De jangadadecanela a 24 de Junho de 2008 às 12:01
:)
De Blue Eyes a 24 de Junho de 2008 às 10:33
Bom dia, Luis!
Guardar o amor e nunca ficar com rancor. O rancor é a defesa dos cobardes.

Um bom dia e um grande abraço!

Ricardo
De jangadadecanela a 24 de Junho de 2008 às 10:58
Olá Ricardo,

é uma escolha acertada.

um bom dia e grande abraço,
Luis
De Bichana a 24 de Junho de 2008 às 11:41
Ultrapassar a desilusão sem guardar rancor não é qualquer um que consegue. Ainda bem que és um desses eleitos.
Gostei muito da tua tempestade!!
Bjnhos
De jangadadecanela a 24 de Junho de 2008 às 12:03
Olá,

Também não sei explicar, só sei sentir...
Há tempestades avassaladoras e doces ao mesmo tempo... :)

beijinho
Luis

De MARIA a 24 de Junho de 2008 às 14:20
DIZEM QUE O VERDADEIRO AMOR, MESMO QUE NÃO SEJA PARA SEMPRE, NUNCA TRÁS O RANCOR. TRÁS A DOR, A TRISTEZA, A DESILUÇÃO, OS ARREPENDIMENTOS, OS ENSINAMENTOS, MAS NUNCA...NUNCA, O RANCOR.
EU CONCORDO. O VERDADEIRO AMOR DEIXA SEMPRE ALGO PRECIOSO NO NOSSO CORAÇÃO.
E O AMOR NÃO SE PROCURA... ENCONTRA-SE; ATÉ PODE SER NUMA NOITE DE FESTA.... COMO O S. JOÃO?????????
ABRAÇO,
MARIA.
De jangadadecanela a 24 de Junho de 2008 às 14:26
Olá Maria,

Pois pode... pois pode... :)

Abraço,
Luis
De pingodemel a 24 de Junho de 2008 às 16:34
olá Luis ...bom dia!!!
...nunca mas mesmo nunca num cobertor de rancor :)...e sim, o tempo tudo resolve ou pelo bem ou pelo mal ...
um abraço
De jangadadecanela a 24 de Junho de 2008 às 21:25
Olá Joana...
é isso mesmo...
um abraço e até amanhã
Luís
De Rosa e Azul a 24 de Junho de 2008 às 18:48
... os momentos não são importantes pelo tempo que duram mas pela intensidade que são vividos..

abraçinho
Ana
De jangadadecanela a 24 de Junho de 2008 às 21:26
Olá Ana,

Tens razão, o tempo é relativo, a intensidade não...

Abraço
Luís
De ஜॐ♥ஜ___Estrelinh@___ஜॐ♥ஜ a 24 de Junho de 2008 às 21:49
O amor numa noite quente de verão, bonita sugestão
belo teu poema,cada xs melhor...

beijinho terno e doce querido...

Boa noite
De jangadadecanela a 25 de Junho de 2008 às 10:59
Olá Estrelinha, noites quentes são um cenário propicio...

beijinho terno e doce
Luís
De Maria João Brito de Sousa a 25 de Junho de 2008 às 01:03
Olá luís Não me esqueci do B+A=BA do soneto. Amanhã não é um bom dia porque tenho consulta. mas não me esqueci!
Que a Jangada saiba sempre enfrentar essas tempestades de sentidos.
Abraço.
De jangadadecanela a 25 de Junho de 2008 às 11:01
Olá Maria João,

Eu fico à espera... :)

a jangada é forte... com a vossa ajuda mais forte ainda é!...

Abraço
Luís

Comentar post

.quem sou...

.Poesia


.pesquisar

 

.posts recentes

. Natal

. Viagem

. Amanhecer

. Esperança

. Sabor a Saudade

. É assim... e que sempre a...

. Infinito

. ...

. Ser

. 21 DE JULHO

. ...

. Tão Veloz Como o Desejo

. Alto Douro Vinhateiro

. O meu leito

. Astrolábio

. Aberto ou Fechado

. ...

. Risco

. SER...

. Partes

.favorito

. DE MÃO NA MÃO

. O CORAÇÃO ...

. DIVAGANDO ...

. AMOTE

. PORQUE...

. NÓS

. "HÁ GENTE QUE FICA NA HIS...

. OBRIGADA POR SERES EGOÍST...

. OU É UMA COISA OU OUTRA

. VAMOS TIRAR UMA FOTO?

.arquivos

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

.tags

. todas as tags

RSS