Quinta-feira, 11 de Setembro de 2008

360 graus

 

Paro. Por instantes senti-te aqui. Muito ao de leve, um aroma doce, um trago de ti. Rodo sobre mim de olhos abertos procurando a tua sombra em qualquer espaço visível mas não te encontro.
 
Encontro as folhas verdes das arvores que rodopiam ao sabor do vento e me levam até ti naquele momento em que dançavas deliciada ao sabor de uma musica que amas;
 
Encontro uma montra de objectos cujo objectivo a que se destinam me levam até ti pela admiração que tenho pelo teu trabalho, pela tua forma de agarrar a vida;
 
Encontro um calendário de onde saltam números que me transportam para momentos em que morri a amar-te em todos os instantes que passei ao teu lado para que depois docemente ressuscitasse no teu abraço;
 
Encontro um vento que me acaricia o rosto e logo me entrega o teu ar quente sobre a minha pele que me faz arrepiar a alma;
 
Encontro um cabelo poisado sobre a minha camisa que me recorda o momento em que nos abraçamos num lago de saudade até que o mesmo secasse sob nós;
 
Encontro a tua voz que me aprisiona em voluntariado. E Amor, tu sabes o quando adoro a tua voz, o timbre que cativa, a energia que emociona, a alegria que contagia. E a noção do tempo que se perde.
 
E as minhas pernas cedem. O meu sangue parece que parou só para te ver passar, instala-se uma estranha fraqueza que pede apoio e o coração dá um jeito de si. Suspira e solta o teu nome sobre mim que me cobre e me preenche, desde a pele até à alma.
 
Ainda parado me apercebo que nunca saíste daqui. Apenas te senti mais intensamente por um momento. A brisa do mar colhe mais alguns metros que passam por mim e novamente te sinto colada a mim. Entendo. Interiorizo. De olhos fechados agora rodo sobre mim à tua procura. E encontro-te no perfume que resta em mim e que sobrou do beijo doce da manhã. Suspiro. Expiro. Solto este ar que me devora de saudade e ao mesmo tempo me alimenta de ti.
 
E sorrio. Sorrio tantas vezes. Tantas vezes quantas as vezes em que uso as letras que constroem as palavras que te dizem o quanto eu gosto de ti. E por muito que as use, elas estão sempre novas.
 
À minha volta existe um mundo. Nesse mundo existes tu. E existes a partir de uma certeza, a certeza de que, em qualquer lugar que eu esteja, olhe para onde olhe, te veja sempre, a ti, o meu Amor.
publicado por jangadadecanela às 15:33
link do post | comentar | favorito
38 comentários:
De folhaaovento a 11 de Setembro de 2008 às 21:05
Olá, o que escreves-te é um sentimento que me preenche os dias, o qual qualquer mulher gostaria de receber, ainda mais quando é vivido e sentido com toda essa intensidade,Bem Hajas por colocares, de uma forma muito, muito especial o que de tão especial sentes,quem me dera que o meu sentir fosse partilhado assim,o ser Especial que me fez sentir Especial, tem.me tratado , de uma forma Especialmente nada de especial, que o teu Amor Especial seja a Diferença na Vida..........Ama muito,e faz do teu partilhar de se ntimentos um poema a cada reencontro de Almas . Que a Felicidade brilhe no teu caminho
Folha
De jangadadecanela a 12 de Setembro de 2008 às 10:07
Olá,

há ja algum tempo que não te via por cá... espero que esteja tudo bem e desejo para ti tudo o que desejo para mim...

um abraço
Luis
De folhaaovento a 12 de Setembro de 2008 às 22:40
olá
tens razão tenho andado um bocado afastada,o trabalho têm sido demasiado e as coisas no campo sentimental não estão como as tuas, e ando conchinha,tentando encontrar outro rumo, levei um grande trambolhão, ou melhor ainda estou a levar,nos ultimos tempos vi o melhor e o pior que um Homem pode oferecer a uma mulher.........mas com o tempo e não sei que mais..................tudo passa,vou de férias e espero vir bem melhor, até porque vão ser de arraso.
para alguém especial como tu desejo o melhor da Vida
bjs
De jangadadecanela a 13 de Setembro de 2008 às 13:47
olá...

espero que dentro dessa concha renasça uma pérola que abrace novamente o mundo...

... amar por vezes implica sofrer mas sofrer não pode comprometer o Amor...

um abraço
Luis
De folhaaovento a 21 de Setembro de 2008 às 13:47
Olá luis
obrigado pelo teu mimo,estou a tentar que a ostra que se encontra dentro da concha, e transforme senão numa pérola polida, pelo menos que veha para a luz, algo com brilho própio, com alguma confiança em si própia, e acima de tudo com muita vintade de viver.........O Amor não têm sido para mim um grande amigo, estou a prender, que me entrego demais.......ou a alguém que não se sabe entregar
De jangadadecanela a 22 de Setembro de 2008 às 17:32
olá... o tempo é amigo... temos que acreditar que tudo se encaixará...

um abraço
Luis
De folhaaovento a 22 de Setembro de 2008 às 23:00
olá
se calhar estou a exceder-me na minha troca de palavras, mas vejo em ti uma sensibilidade que me é muito próxima, e como por vezes temos muita vontade de por para fora o que tanto nos atormenta os dias e ás vezes as noites..........sei que o tempo é amigo...............sei que tenho de acreditar..............sei que um dia vai deixar de doer..............mas agora ainda doi muito.......e está dificil ultrapassar, quando nos damos de verdade a alguém, e as coisas não correm como previamos. ...........provoca a dor, que nos rasga a alma e ficamos na caverna sem Luz...........vou acreditar que com o tempo a dor vá sendo transformada no meu crescimento e conseguir algo melhor..............Obrigado pelas tua deixas. um Abraço muito grande e muita LUZ para o teu AMOR.
Folha
De jangadadecanela a 23 de Setembro de 2008 às 11:02
olá...

eu entendo a dor, a angustia, a impotência, a ausência de vontade, mas sei que apesar de tudo isso, devem existir duas razões para acreditar...

1. o tempo, apesar de relativo, ajuda a apaziguar (acontece no mau e ainda bem, e acontece no bom o que é mau e que temos que contrariar...)

2. o amor é algo que existe em nós e enquanto acreditarmos que o podemos dar novamente, existirá sempre uma nova possibilidade de o sentirmos como ele deve ser sentido... na sua plenitude.

um abraço
Luís
De folhaaovento a 23 de Setembro de 2008 às 21:05
Obrigado
por me ajudares a ter um pouco mais de confiança,
Sabes que o tempo vai passando e realmente a mágoa vai diminuindo,e até desaparece, mas eu só sei que me entrego de tal forma que, quando os versos dão lugar ao silêncio, demoro um bocado, a partir, doi muito o não perceber porque o outro partiu sem explicações, ou perceber que me dei demais,fazer a volta de 360º, é um pouco dificil, mas vou conseguir, até tenho a tua ajuda inesperada,
Parabéns pelo texto de Hoje é sublime, sabes gosto muito de ler e escrever mas o meu tempo é muito curto, e não me solto nem escervo tão bem como tu, consigo sim sentir cada bocadinho daquilo que escreves,sinto a tua lágrima atransformar-se em rio e juntar-se no meu vale seco porque de tantas lágrimas que tenho soltado começo a entir uma certa aridez,,
Fica Bem e vive cada momento com toda essa entrega
Obrigado Luis
Folha
De jangadadecanela a 24 de Setembro de 2008 às 10:02
Olá... a entrega é essencial para que o Amor perdure. Mesmo que não tenha resultado desta vez, não percas a esperança... porque o Amor vale sempre a pena...

um abraço
Luis
De folhaaovento a 25 de Setembro de 2008 às 16:22
olá
é não vou perder a esperança...........vou de férias, vão ser espectaculares, como o teu blog é Jangadadecanela,,,,,,,,vou dizet-te que vou para a rota da canela..........não deve ser mau..............Tãnzania e Zanzibar........devem ajudar a dar um brilho melhor á pérola meio baça que por aqui anda..........vou tentar aproveitar ao máimo e trazer muito brilho no olhar, deve ajudar alguma coisa não achas ?
Obrigado e um Abraço Grande
De jangadadecanela a 26 de Setembro de 2008 às 11:34
olá... espero que sejam umas férias renovadoras e que essa pérola volte então mais brilhante! Aproveita bastante... deve ser fantástica essa zona do mundo!

um abraço
Luís
De folhaaovento a 15 de Outubro de 2008 às 09:50
Bom dia Luís
Estou de volta, as férias foram um turbilhão de mundos diferentes e para nós mulheres ocidentais a diferença ainda é maior, em Zanzibar que têm 1 milhão de habitantes parece que estamos num dos países Árabes, e começamos a valorizar mais o nosso cantinho , a nossa conquista de podermos dizer Não , Venho com mais brilho, e mais certeza do que não quero, vou começar a trabalhar e como o ritmo é muito intenso, vou tentar poupar energias para não destabilizar tanto, enfim cheguei ao mundo do quotidiano.
Um Abraço Grande
Folha ao vento (com brisa de Zanzibar)
De jangadadecanela a 15 de Outubro de 2008 às 15:36
Olá...

fico contente por regressares mais animada... deve ter sido uma viagem fantástica... ter a certeza do que não queremos é meio caminho andado para sabermos por onde vamos... :)

benvinda de volta

um grande abraço
Luís

Comentar post

.quem sou...

.Poesia


.pesquisar

 

.posts recentes

. Natal

. Viagem

. Amanhecer

. Esperança

. Sabor a Saudade

. É assim... e que sempre a...

. Infinito

. ...

. Ser

. 21 DE JULHO

. ...

. Tão Veloz Como o Desejo

. Alto Douro Vinhateiro

. O meu leito

. Astrolábio

. Aberto ou Fechado

. ...

. Risco

. SER...

. Partes

.favorito

. DE MÃO NA MÃO

. O CORAÇÃO ...

. DIVAGANDO ...

. AMOTE

. PORQUE...

. NÓS

. "HÁ GENTE QUE FICA NA HIS...

. OBRIGADA POR SERES EGOÍST...

. OU É UMA COISA OU OUTRA

. VAMOS TIRAR UMA FOTO?

.arquivos

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

.tags

. todas as tags

RSS